A goma arábica, a fagulha da vida ou a fortuna da Coca-Cola do Sudão?

Goma arábica

Goma arábica: uma solução milagrosa para os problemas do Sudão ou um instrumento neocolonial ao serviço das multinacionais? Por que nenhuma mídia menciona o nome da Coca Cola neste caso?

Na 16, em fevereiro passado, o jornal Sudan Tribune publicou um artigo sobre um produto do qual o Sudão é o maior produtor mundial: goma arábica. Sob o título "O Sudão exportados 42 toneladas de goma arábica nos EUA em 2013-oficial" do jornal informado desse facto, sem qualquer explicação, nem no que goma arábica, nem a sua importância para o país ou na relação comercial mantida entre o Sudão e os Estados Unidos, e tomando cuidado para não mencionar o nome da principal empresa a que a goma arábica é vital: Coca-Cola.

A goma arábica é tão importante que existe um Conselho Árabe de Goma no Sudão: o GAC. É uma matéria prima estratégica de grande importância. O secretário-geral do GAC, Abdel-Magic Abdel Gadir, revelou publicamente que o Sudão exportados toneladas 42 de goma arábica nos EUA em 2013, o que representa US $ 103 milhões. Ele também anunciou uma previsão de toneladas 55 2014, acrescentando que "os Estados Unidos continua a importar goma arábica do Sudão indiretamente."

O artigo explica brevemente que "o Sudão está na lista de países que promovem o terrorismo nos Estados Unidos desde a 1993". Também é mencionado que "O Sudão é também objecto de sanções econômicas em todo o mundo desde 1997." "No entanto, na 2010, os EUA anunciaram o levantamento de sanções contra equipamentos e serviços agrícolas, o que permitiria a uma dúzia de empresas obter licenças de exportação".

Alguns altos funcionários do governo sudanês afirmaram consistentemente que "várias empresas americanas estão evitando sanções econômicas através da produção de decisões legais" em alguns estados para permitir que eles façam "investimentos agrícolas no Sudão".

O artigo finalmente acrescenta que "o Sudão conseguiu pressionar os EUA graças à goma arábica para que eles suspendessem as sanções, mencionando a importância dessa matéria-prima para os mercados norte-americanos". "Os Estados Unidos excluíram a goma arábica das sanções, dada a importância crítica dessa matéria-prima para a indústria de alimentos e medicamentos".

Qual é a dura realidade por trás de tudo isso?

Goma arábica é um componente importante da indústria alimentar e farmacêutica, é certamente o componente E414, presente em muitos alimentos para o consumo diário. É também utilizado pela sua viscosidade ou como espessante e emulsionante para fazer doces gelatinosos ou marshmallows. É também um ingrediente em tintas, corantes, solventes, betume, adesivos, papel de cigarro, cobrindo medicamentos, mastigando cremes goma, fio, fogos de artifício ... Mas o maior consumidor mundial de goma arábica é Coca-Cola, consome tanto quanto o açúcar, embora os números precisos sejam difíceis de encontrar na Internet, provavelmente por causa da famosa fórmula secreta ...

Este material, também conhecido como goma acácia, é produzido principalmente no Sahel, do Senegal à Somália, embora também seja cultivado na Península Arábica. No entanto, na 2007, por exemplo, o Sudão, o Chade e o Níger, por si só, fornecem 95% da produção mundial. O Sudão produz cerca de 80% da produção anual mundial, apesar de pequenas flutuações de um ano para o outro.

Neste artigo do Sudão Tribune, algumas coisas podem ser lidas nas entrelinhas:

- A pressão sudanesa referida no artigo data da 2007, quando o embaixador do Sudão nos EUA, numa conferência de imprensa, brandiu uma lata de Coca-Cola, ameaçando os EUA já não fornecer goma arábica se as sanções econômicas em seu país não foram levantadas. A única sanção levantada foi a relativa a este "produto agrícola". A ameaça não foi, portanto, muito útil, exceto por este embaixador perder seu mandato nesse mesmo ano ...
- A maior parte do comércio desta matéria-prima é feita através do mercado negro, ilegalmente. Ao dizer "oficial", o título do artigo refere-se aos números na posse do governo sudanês, mas esse número provavelmente seria multiplicado por mil se contássemos exportações não oficiais. A demanda por goma arábica é de toneladas anuais 60 000. No entanto, o Sudão produz o 80% e a Coca-Cola consome a maior parte ... as contas oficiais entre exportações, importações e lucros gerados obviamente têm algumas lacunas a preencher ...
- Existem outras commodities, além de petróleo e gás, que causam guerras e ataques violentos neocoloniais em países africanos.

- A Coca-Cola é uma empresa tão poderosa que o governo dos EUA é capaz de mudar as leis internacionais para poder comprar matérias-primas.

-A mídia sudanesa nem sequer menciona o nome da Coca-Cola. Essa empresa que promove isso dizendo que tudo é alegria, com uma coca na mão, parece, no entanto, na vida real, espalhar mais medo do que alegria.

Tradução: Colectiva Investig'Action

FONTE : http://www.africaenmente.blogspot.be

Você reagiu "Sudão goma arábica, faísca da vi ..." Há alguns segundos

Você gostou desta publicação?

Seja o primeiro a votar

Como você gosta ...

Siga-nos nas redes sociais!

Enviar a um amigo